Ir para conteúdo

Bem vindo ao Designer Covers Custom | Capas & Labels Customizados
Registre-se agora para ter acesso a todos nossos recursos. Depois de concluido o cadastro, você será capaz de criar tópicos, postar respostas a tópicos existentes, ver a reputação de membros, criar seu próprio mensageiro, enviar mensagens, personalizar seu perfil, baixar nossas capas de cd que são livres para downloads e muito mais venha conferir, não perca tempo. se já possui uma conta , clique aqui para entrar - caso não tenha criar uma conta para acessar!
Foto

Como Deixar O Photoshop Mais Rápido – Dicas De Desempenho


  • Por favor, faça o login para responder
2 respostas neste tópico

#1
fofocesar

fofocesar
Como deixar o Photoshop mais rápido – dicas de desempenho
Veja algumas dicas que ajudarão seu Photoshop a rodar mais rápido. Chega de travamentos e lentidões!
  •  
Às vezes, mesmo tendo uma máquina excelente, que roda lançamentos em games e filmes em HD, o usuário do Photoshop fica indignado porque vai editar suas imagens e depois de uns três filtros começa a sofrer com travamentos e lentidões.

Não adianta só jogar a culpa na Adobe e dizer que o programa é pesado, temos que entender a causa desses problemas - normalmente nossa culpa - e evitá-los com algumas práticas razoavelmente simples.

Muita gente "brinca" com o Photoshop e por isso esquece que ele é uma ferramenta profissional, foi desenhado para máximo desempenho em máquinas igualmente otimizadas e preparadas. Antes de partir para o Gimp ou Photoscape porque são mais "leves", veja se essa lista de recomendações ajuda a melhorar o desempenho de seu software.

Memória

O Photoshop usa a memória RAM para armazenar informações enquanto você trabalha, entre elas dados das imagens, passos do histórico de edição e muitos outros. Se sua máquina tiver pouca memória disponível, é natural que o programa rode mais devagar.

"Ah, mas meu computador tem 4 GB de RAM e continua lento".

Primeiro, você precisa avaliar o que é importante estar aberto enquanto trabalha com o Photoshop. A memória usada por ele não é a total do sistema, pois ela é compartilhada entre os programas abertos e o sistema operacional. Se toda a memória disponível estiver livre, fora o exigido pelo sistema operacional (sem outros programas que não precisariam estar abertos), o Photoshop pode acessar, em processadores 32-bit, aproximadamente 3 GB de memória. Em máquinas 64-bit, havendo mais memória, poderá acessar toda a livre.

Ou seja: se você usa o Photoshop e ao mesmo tempo tem Skype, navegador com vinte abas, música em FLAC (formato bem pesado de arquivo por sua compactação sem perdas) tocando, fora outros processos rodando que você não vê, naturalmente acabará sofrendo com travamentos e lentidões em alguns momentos.

Como resolver? Tenha o máximo que puder de memória no computador. 4 GB é suficiente para quase todos os casos, a não ser que você trabalhe com arquivos bem grandes - nesse caso, considere uma máquina 64-bit com 8 GB de memória. Se é usuário de Windows e não sabe quanto seu computador tem, pressione a tecla do Windows (aquela com o logo, perto do Ctrl) + Pause, e confira as especificações do seu sistema.

dados-do-sistema-Windows.jpgDados do sistema no Windows 7 (acima) e Windows 8

Lembre-se que sistemas de 32-bit não conseguem acessar mais que cerca de 4 GB de memória, portanto se pretende ter mais que isso disponível, é hora de trocar seu processador ou adquirir uma máquina compatível com processadores 64-bit.

Por padrão, o Photoshop usa 70% da RAM disponível. Você pode alterar isso nas Preferências (menu Editar > Preferências > Desempenho). Quanto mais memória reservar para o Photoshop, menos sobrará para os outros, então se precisa ter outros programas abertos, cuidado com essa opção. Reinicie o Photoshop depois de fazer a mudança.

uso-de-memoria-Photoshop.jpg

Para saber se é hora de fazer alterações de memória, é recomendável observar o indicador de eficiência. Ele pode ser visto na barra de status, que fica na parte inferior da área de trabalho do programa.

indicador-de-eficiencia-do-Photoshop.jpg

Se enquanto trabalha notar que a eficiência está abaixo de 100%, é sinal que o Photoshop ocupou toda a memória RAM e precisou do scratch disk (calma, veja mais abaixo) tendo perda de desempenho. Se isso ocorrer, experimente o que foi mostrado acima, aumentando a quantidade de RAM disponível pra ele. Se continuar abaixo dos 100% com frequência, é melhor instalar mais RAM em seu computador. O scratch disk é um "quebra-galho" e jamais terá a velocidade das memórias.

Disco rígido, SSD e RAID

HD serve só pra armazenar, e o que importa é o espaço, certo? Errado. O HD tem as funções de abrigar seu programa, com todos os arquivos carregados a cada inicialização do Photoshop, e também serve como scratch disk (memória virtual). Quanto mais rápido for o acesso aos discos com essa função, naturalmente o desempenho do software será melhor.

A memória virtual funciona como uma memória RAM alternativa - bem mais lenta que os módulos instalados dentro do seu computador. Quando o programa está trabalhando, ele pode usar parte do HD como área de armazenamento temporário, colocando ali sobras do que não foi para a RAM por razões diversas. Se a memória virtual fica apertada, ocorrem travamentos. O Windows 7, por exemplo, dificilmente trabalha bem com menos de 10 GB de espaço, e o Windows 8 pede 16 ou 20 GB nas versões 32-bit e 64-bit, respectivamente. O Photoshop também precisa ter folga para trabalhar.

O recomendado pela Adobe é que, caso seu programa esteja instalado num HD comum, você tenha outro HD exclusivamente para a memória virtual, de preferência um com muito espaço e de alto desempenho (7200 RPM ou acima), ou até um do tipo solid-state (os famosos SSD, que apesar de ainda caros, estão se popularizando e tendem a superar os HDs em alguns anos). Se o Photoshop estiver instalado num SSD, haverá pouco ou nenhum benefício em usar outro disco de qualquer tipo como scratch disk.

O disco alternativo pode ser indicado pelo menu Editar > Preferências > Desempenho, na opção Discos de Trabalho. Basta marcar o disco onde não está o Photoshop nem o sistema operacional como opção para o trabalho de memória virtual. Vale também usar um disco externo.

2.png

Para melhorar o desempenho, é sempre recomendável manter os discos desfragmentados.

Para quem está familiarizado com uso de RAID, a Adobe explica como obter o melhor para o Photoshop (e outros de seus softwares como o After Effects:

RAID 0 é o mais simples, oferecendo alta performance sem funções adicionais. Um RAID 1 copia os dados para os drives redundantes, então se um deles falhar, você ainda terá a cópia. Mas note que RAID 1 não oferece qualquer vantagem sobre o uso de drives comuns individuais. Níveis maiores de RAID oferecem tanto melhor desempenho quanto a proteção adicional de dados, com a habilidade de recuperá-los caso um drive com falha seja substituído. Um sistema em RAID 5 com três ou mais dispositivos é uma escolha comum high-end tanto para melhor desempenho quanto proteção de dados.

 

Processador

Por muito tempo, apenas o clock (velocidade) do processador foi usado como parâmetro para determinar qual o melhor, mas com a existência dos multinúcleos (multicore), um processador de 2.5 Ghz e mais de um núcleo será mais veloz em certas tarefas que um de 3 Ghz de núcleo simples. Quem não tem muita intimidade com hardware se atrapalha com isso.

O Photoshop vem sendo desenvolvido para aproveitar os processadores com mais de um núcleo, e algumas ferramentas fazem muito uso deles, caso do Desfoque Radial. Mesmo que algumas não mostrem vantagem num processador de vários núcleos em relação a um singlecore, o indicado para melhor desempenho são processadores de 64-bit e multicore.

Quem usa o Photoshop em uma máquina de núcleo simples verá muita vantagem ao migrar para um multinúcleo; quem já tem um multinúcleo, porém, não verá vantagem na mesma magnitude ao migrar para um processador com mais núcleos. Assim: processador de dois núcleos é muito melhor que de um núcleo; o de quatro núcleos é melhor que de dois núcleos, e um com oito núcleos é pouco melhor que o de quatro núcleos. Segundo palavras oficiais da Adobe, "Para a maioria dos usuários, o aumento de desempenho que mais do que 6 núcleos proporciona não justifica o aumento de custo".

Placa de vídeo

Componente fundamental se o usuário quer trabalhar com recursos avançados, como o Adobe Repoussé, rotação do papel e ferramentas 3D, já que no mínimo suporte a OpenGL e 512 MB de memória são requeridos para essas funções. Assim, qualquer placa média moderna deve servir.

3.pngSe seu hardware de vídeo não tiver suporte a OpenGL, muitos recursos do Photoshop não estarão disponíveis

Entre os recursos disponíveis ao usar um dispositivo de vídeo reconhecido pelo Photoshop estão o Rotação de Papel, seletor de cores em disco (HUB de cores), funções avançadas de zoom suave, visualização de pincéis, camadas 3D, entre outras.

A maior parte dos dispositivos de vídeo onboard (ou seja, integrados com a placa-mãe do computador) não oferecem muitas configurações, o que não chega a impedir o uso do Photoshop - a não ser dessas funções avançadas. Se pretende fazer uso profissional, adquira uma placa de vídeo moderna.

Placas de vídeo compatíveis com o Photoshop devem ter no mínimo 512 MB de RAM. Além disso, o uso de mais de uma placa de vídeo pode resultar em erros diversos, especialmente se forem diferentes, e não resultam em ganho de desempenho. Para ajustar o desempenho da sua placa de vídeo com o Photoshop, siga ao menu Editar > Preferências > Desempenho. Veja se a caixa "Usar processador gráfico" está ativa.

Clique no botão "Configurações Avançadas".

configuracao-do-processador-grafico-Phot

  • Modo Básico: usa menos a memória de vídeo e ativa recursos básicos do OpenGL (um conjunto de funções de hardware de vídeo). Se você costuma - e precisa - manter vários outros programas abertos juntos com o Photoshop, talvez seja melhor usar esse modo.
  • Modo Normal: usa muito mais da memória de vídeo e ativa várias funções pelo processador gráfico, liberando o sistema para outras tarefas.
  • Modo Avançado: tudo do modo Normal, mais recursos que podem resultar em desempenho melhorado. Só evite se notar perda de fluidez ao usar o Photoshp.
    • Usar processador gráfico para acelerar a computação: o Photoshop poderá usar o hardware de vídeo para processos não necessariamente ligados à renderização de imagem, como cálculos na aplicação de filtros, redimensionamentos, etc.
    • Utilize o OpenCL: usa a placa de vídeo para acelerar processamentos como dos filtros de desfoque de campo, desfoque de íris e tilt-shift. O OpenCL está disponível só em placas com suporte a OpenCL 1.1 ou posterior.
    • Guias e demarcadores de suavização de borda: permite que o hardware de vídeo suavize arestas das guias e demarcadores de desenho.
    • Vídeo de 30 bits (só para Windows): permite que Photoshop exiba dados de 30 bits na tela, desde que a placa de vídeo ofereça suporte.

Confira a lista de placas de vídeo testadas para o Photoshop CC.

Passos do Histórico

Um recurso excelente do Photoshop são os passos gravados pelo Histórico, permitindo que voltemos rapidamente a etapas passadas durante a edição de seu documento. O problema é que ele consome bastante memória, então você pode diminuir a quantidade delas que será memorizada.

Siga ao menu Editar > Preferências > Desempenho, e reduza o número de etapas, que por padrão é 20. Você também pode otimizar as outras opções conforme explicado na caixa.

4.pngConfigurações de Histórico e Cache. Em Descrição, veja o que cada uma faz Limpar cache

Depois de trabalhar por um tempo, o Photoshop terá acumulado históricos, imagens e outras coisas na memória temporária, o que pode reduzir consideravelmente seu desempenho (pelo menos enquanto não for fechado e reaberto). Se não tiver mais nada lá que seja aproveitável e ainda vai editar outro documento, você pode limpar a memória. Siga ao menu Editar > Descartar, e escolha o que quer jogar fora.

Não se preocupe pois nada do que você salvou será eliminado, só o que ficou retido na memória, históricos, etc.

Pincéis, formas, fontes e texturas

Quantos mais coisas o programa precisar carregar ao iniciar, mais tempo vai demorar, maior será o arquivo criado no scratch disk e o uso de memória. Se você instalou pincéis, formas vetoriais, texturas, filtros e outras bugigangas sem pensar no amanhã, e não as usa com frequência, é fortemente recomendado removê-las. Prefira manter esses arquivos à parte da instalação do programa, em uma pasta separada, e só carregue-os quando for preciso. Isso pode economizar centenas de megabytes de memória (e/ou reduzir a memória virtual), melhorando o desempenho.

Para alterar essas ferramentas, siga ao menu Editar > Preferências > Gerenciador de predefinição. Escolha no menu qual kit de ferramentas vai editar e use os botões para excluir o que não precisa. Se precisar recarregar o que excluiu mais tarde, é só usar o botão Carregar..., navegar até o arquivo de predefinições e pronto.

Quanto mais fontes estiverem instaladas no seu sistema operacional, pior para o tempo de carregamento de todos os programas que as usam. Se precisa de várias fontes no Photoshop, não precisa de todas no Windows - pode mantê-las na pasta no caminho C:\Arquivos de Programas\Common Files\Adobe\Fonts. Se a pasta Fonts não existir, crie-a, mova ou copie as fontes para lá e reinicie o Photoshop.

Desabilitar miniaturas

Alguns painéis do Photoshop apresentam miniaturas de seu conteúdo (como nas Camadas, Canais e Demarcadores). Se seu arquivo tem muitas camadas, serão consumidos muitos recursos para exibição das miniaturas. Para desabilitá-las, abra o menu daquele painel e selecione NENHUM na opção de exibição. Se acha desconfortável trabalhar sem miniaturas, pode ao menos diminuir seu tamanho.

5.pngDesabilitar miniaturas pode economizar muita memória Trabalhar no modo 8-bit

A profundidade de bits especifica quantos tons de uma cor são salvas por canal. Como assim?

Cada bit de informação tem dois valores. Então um arquivo com cor 1-bit na verdade pode ter 2 valores, preto e branco. Se tiver 2 bits, temos 1 bit + 1 bit, com 2 valores em cada, ou 2² = 4 cores, e assim por diante. Uma imagem 8-bit é o mesmo que 28 = 256 valores por pixel. Isso quer dizer que cada pixel, numa imagem colorida 8-bit, pode ter até 256 tons de uma cor. É muita coisa.

Mas o Photoshop pode trabalhar com muito mais que isso. A não ser que você precise das imagens em 16 ou 32-bit, como em arquivos que serão impressos ou precisam de muito mais qualidade na edição, prefira o modo 8-bit. Isso economiza memória, espaço em disco, tempo de processamento e gera arquivos menores. Para converter sua imagem para 8 bits por canal, siga ao menu Imagem > Modo > 8bit/canal. Para entender melhor cada modo, veja a ajuda da Adobe sobre Profundidade de Bits.

Nota: converter sua imagem para o modo 8-bit causará perdas irreparáveis de dados. Tenha uma cópia da original antes de salvar após a conversão.

Desativar o "Exportar Área de Transferência"

A opção "Exportar Área de Transferência" garante que os arquivos temporários do Photoshop fiquem disponíveis para outros programas quando eles ganham foco. Se você costuma copiar grandes imagens e dados, mas não os cola em outros programas (ficam em uso só no Photoshop durante o trabalho), não tem sentido manter isso ativo.

Para desativar, siga ao menu Editar > Preferências > Geral (ou atalho Ctrl + K). Desmarque a caixa.

exportar-area-de-transferencia-Photoshop

Há outros meios de melhorar o desempenho do Photoshop em casos específicos, como trabalhar com o modo de cor certa (RGB é menos pesado para o sistema do que CMYK), desativar o preview de fontes em seus textos, etc. Além das dicas mostradas aqui, essas outras dependem do tipo de trabalho que você desenvolve. Não as acho muito interessante para usuários médios.

Acima de tudo, a melhor maneira de aproveitar bem o software é investir em seu computador. Quanto mais recursos ele disponibiliza ao programa, melhor ele roda.

 
  •  

 



Banner PagSeguro

#2
Joao Batista

Joao Batista
  • LocationOsasco - SP
Tutorial bem sucinto e claro!

#3
jbslopes

jbslopes

Belo tópico


llcbpkz2gpz24zi4g.jpg